segunda-feira, março 08, 2010

Dia da Mulher-Mulheres nos Quadrinhos!!!!

Parabéns meninas, mulheres, mulherzinhas!!!
Vamos comemorar nosso dia, com algumas matérias do LIELSON ZENI e participação +++ que especial da VANESSA RODRIGUES (boa de pista) sobre a mulher nas HQs.

No dia internacional da mulher, que tal uma lista de personagens femininas das HQs? Sem ordem de preferência, mas sim de como elas surgiram em minha lembrança enquanto escrevia:

Mônica: sim, vamos fazer uma lista de mulheres fortes, a baixinha de Mauricio de Souza não pode ficar de fora. Cheia de atitude, não aceita desaforos e sempre tem argumentos coelhísticos para convencer seus detratores do equívoco que cometem ao atacá-la. A personalidade da Mônica é tanta que, além de ter revistas e almanaques com seu nome, é possível ver sua atitude em espanhol e em inglês – Monica y su Pandilla e Monica’s Gang -, além do maior sucesso editorial brasileiro, Mônica Jovem.


Mafalda: ainda falando de jovens senhoritas, é bom olhar pros vizinhos argentinos e saber que essa portenha tem muita opinião pra dar. Mafalda tem um senso crítico apurado, muita voz e muito bom senso. É uma pena que bom senso não seja senso comum. Apesar de andar sumida e ter se aposentado muito jovem, cansada de sopas e da política global, Mafalda pode ser reencontrada o tempo todo em publicações como 'Toda a Mafalda'.

Julia Kendall: quem ainda não está aposentada é a charmosa criminóloga Julia. Mês após mês acompanhamos seus conflitos pessoais e sua perspicácia e inteligência sendo usada para resolver casos misteriosos. Julia, que é a cara da Audrey Hepburn, foge do papel clichê da mulher nas histórias de investigação: ela não é uma femme fatale, embora seja uma gracinha. As coisas são resolvidas pela sagacidade da doutora Kendall.

Katchoo e Francine: essa duas entram como se fossem uma só, pois todo o enredo de Estranhos no Paraíso se desenrola a partir das confusões que essas duas inventam. Katchoo é forte, sabe o que quer e não baixa a bola pra ninguém, enquanto Francine é insegura e extremamente azarada em seus relacionamentos. Mas como dupla, as duas são insuperáveis.

Lois Lane: a melhor repórter do universo DC é uma mulher decidida e de personalidade. Ela é chata, metida, turrona e extremamente adorável. Acompanhar a evolução dessa personagem é acompanhar a evolução do pensamento da indústria sobre papel social da mulher. Embora seja muitas vezes relegada ao papel de namorado do Superman, os fãs de Lois – entre eles, eu – sabem do que ela realmente é capaz.

Morte: Ainda no universo DC, a irmã mais velha do Sandman, Morte merece destaque. Não espero morrer tão cedo, mas se na hora dos finalmentes ela se parecer com a personagem criada por Neil Gaiman, tenho certeza que poderei jogar uma última partida de Guitar Hero antes de ir dessa pra melhor. A simpatia de uma tia jovem, fazem dessa personagem uma verdadeira ternurinha. Pena que ela seja a Morte.

Jessica Jones: a detetive particular se casou com Luke Cage e teve uma filha. Mas as suas aventuras antes disso, publicadas na série Alkias, são fantásticas. Estamos falando de uma personagem real, com sentimentos reais, como se Julia Kendall fizesse parte do universo Marvel.

Que tem mais, isso eu sei, mas ficamos por aqui. Nessa semana ainda teremos mais algumas coisinhas sobre as mulheres e os quadrinhos.

2 comentários:

Guilherme Caldas disse...

Druuna, Pandora, Dale Arden... a lista é longa.

lwsp disse...

Sempre gostei das 'semi-vilãs' da DC: Mulher Gato, Arlequina e Hera Venenosa...e a Elektra, da Marvel, é 10 também. Mas só o fato de ser mulher já basta!