sábado, abril 24, 2010

Pra não deixar esfriar...Sobre a Café Espacial-por Lielson Zeni


>

SOBRE A CAFÉ ESPACIAL EM CURITIBA

Siga a Gata da Bike!


Essa foi a chamada que a Itiban e a Café Espacial usaram como convite para o lançamento da sexta edição da revista independente em Curitiba. Claro, o lançamento foi aqui a Itiban.


Guilherme Caldas,Lídia Basoli,Sérgio Chaves,Laura Gattaz



Os simpáticos Laura Gattaz, Lídia Basoli e Sergio Chaves, editores da revista, e o desenhista Guilherme Caldas, conversaram com quem veio. O pessoal da Café espacial, inclusive, explicou de onde vem o dinheiro pra publicação da Café Espacial:

“Do nosso bolso.”

Os colaboradores da publicação fazem exatamente isso: colaboram. Não há pagamento. Ninguém ganha dinheiro com a “Café Espacial”. Talvez a gráfica que a imprima. Mas não é isso que impede a revista de chegar até em Portugal.

Distribuída pelo esquema colaborativo do coletivo Quarto Mundo para boa parte do Brasil, a Café Espacial está disponível para o público europeu, na galeria (de criativo nome) Dama Aflita, na cidade do Porto.

A Café Espacial existe desde 2007, quando o fanzine Justiça Eterna, idealizado por Sergio e coeditado por Lídia, se transformou na publicação como conhecemos hoje. De lá pra cá, uma edição a cada 6 meses, aproximadamente.

Com a constância de publicação dentro do possível, a Café Espacial firmou-se e ganhou confiança dentro desse estranho mercado dos quadrinhos nacionais. Mas nem tudo é HQ na revista. A proposta é que também haja espaço para cinema, música, fotografia e literatura.

O reconhecimento do trabalho dos “baristas siderais” é a qualidade dos nomes envolvidos na revista: Guilherme Caldas, DW, Laudo ferreira, Sueli Mendes, Fabio Lyra, Mario Cau, Jozz. Todo mundo colaborando pela revista.

E Laura, Lídia e Sergio já pensam edições especiais, como uma publicação de contos de Jana Lauxen e em aumentar o ritmo de lançamentos: a intenção é que em 2010 sejam lançadas três edições. Foi a primeira, só faltam duas. A dificuldade pra isso? A de sempre: dinheiro.

Apesar dos patrocínios na revista e da verba conseguida com a venda das edições anteriores, os custos das viagens pra divulgação ficam por conta deles mesmos.

É de se pensar porque esse povo da Café Espacial quer arranjar mais trabalho. Ou porque quer qualquer trabalho. Todos eles estudam e trabalham, e usam seu tempo “livre” pra tocar a edição da revista, sem ganhar nada por isso.

A não ser a satisfação de ver impressa e de pôr em existência no mundo algo de que se orgulham.

Pensando bem, dá pra entender porque eles fazem a revista, sim.


por Lielson Zeni


2 comentários:

liber disse...

Ih. Perdi.

duparah disse...

Parabéns, Café Espacial!
Vocês são os responsáveis por acender um gosto por HQ que eu não conhecia!!!!
hahahaha